Transição ao Vegetarianismo estrito.

Muitos indivíduos são vegetarianos por preceitos éticos, religiosos, energéticos, metafísicos. Porem muitos deles ignoram a necessidade ou não sabem como mudar para uma dieta vegetariana estrita. De fato, os derivados de leite e ovos sao igualmente cruéis, e na minha opnião piores, em se tratando de ética animal. Alem disso, o mito da fonte de cálcio como premissa para o consumo compulsório de lácteos esta caindo por terra, para o bem de todos. Juntos, grãos, sementes, hortaliças e frutos sao capazes de proporcionar ao individuo uma alimentação rica e plena, em vias de uma dieta vegana. Esta merece dedicação e requer disciplina, para que o consumo destes nutrientes específicos seja regular e o consumo de antioxidantes seja farto, pois e um dos segredos da longevidade vegana.

Aprender a nutrição do próprio corpo sem entraves éticos, de saúde ou espirituais se torna imperioso a um individuo que se atente ao seu ambiente interno e externo. Assim, todo vegano deve ser um cientista, pesquisar, aprender a escolher e fazer seu alimento como parte da pratica da vida.

Graças a diversos grupos e correntes de adeptos, seja na ciencia ou no ativismo, pela CONSCIÊNCIA, o material de conhecimento e de livre acesso na internet.

O mercado vegano cresce substancialmente oferecendo opções saudáveis e sem qualquer origem animal, desde leites e queijos ate hambúrgueres, pães, e diversos pratos de muito bom paladar e riqueza nutricional.

Hambúrguer de quinoa e grão de bico.

Hambúrguer de quinoa e grão de bico.

Smoothie de frutas e sementes.

Smoothie de frutas e sementes.

Extrato líquido vegetal de amêndoas.

 

 

 

Da mesma forma todos estes itens podem ser feitos em casa apos breve procura em páginas de busca. O importante no veganismo e a variedade e oferta de nutrientes, principalmente aqueles que se deve tomar mais atenção, como as vitaminas D e B12 e os minerais cálcio, ferro e zinco. Não menos importantes são os óleos essenciais linoleico e linolênico (Ômegas 6 e 3). De antemão, na pratica diária as fontes de maior necessidade podem ser supridas por grupos alimentares específicos, como castanhas e leguminosas (grão de bico, lentilhas, feijão) cereais (arroz, quinoa), sementes (girassol, gergelim, linhaça) hortaliças (couve, brócolis), vitamina C concomitante para aumentar a absorção destes e o cuidado na manipulação de alguns alimentos que contem antinutrientes.

Dose diária equivale a 2 col. sopa da semente.

Dose diária de óleos essenciais na linhaça: equivale a 2 col. sopa da semente.

 

Na maior parte dos casos, a demolhagem das leguminosas por uma noite e lavagem ja retira o fitato, um dos antinutrientes encontrados nos alimentos vegetais. Existem outros casos como a acelga e a beterraba, bem como o cacau, cafeína de chás e café, que também podem prejudicar a absorção eficaz dos nutrientes ingeridos. O SOL e a fonte de vitamina D vegana. Com seus raios UV sintetizamos a vitamina pela pele. Sua carência pode prejudicar diversos órgãos e sistemas, portanto e importante a verificação de seus níveis séricos em uma dieta vegana, ja que sua fonte alimentar e exclusivamente animal. No caso da vitamina B12, a solução até agora constatada pela medicina e a reposição que pode ser mais eficaz por via oral, em doses medias a grandes, mas cada caso tem sua necessidade. Sua fonte e exclusivamente animal, e sua forma sintética e feita por microorganismos (bactérias). Verificar seu status no sangue e igualmente importante pois sua carência pode causar diversos sintomas, inclusive os neurológicos, que sao irreversíveis.

 

 

 

 

Enfim, a alimentação vegana e um grande e belo aprendizado na cura de si mesmo, através da saúde e da alimentação. Uma boa dica e o guia de dietas vegetarianas da Sociedade Brasileira de Vegetarianismo, elaborado pelo médico nutrologo Eric Slywicht.

O link para o documento em pdf esta no site da SVB. Consultar um nutricionista ou médico pode ajudar no começo, para que se sanem maiores dúvidas na prática e se avalie o estado de nutrição vigente.

Completa e livre.

Completa e livre de crueldade.

 

 

 

 

Dra. Luiza Savietto

Deixe uma resposta