Brócolis

Antes de dizer pra que serve ou como preparar ou quantos e quais nutrientes o brócolis possui, uma história.

Há 3 meses comprei mudas de hortaliças assim que me mudei prum sítio aqui no Sul de minas. Fizemos uma leira (fileira de terra que serve pra plantar o vegetal acima do nível do solo). Ele precisou ser regado todos os dias, quando não chovia. De 3 meses.

Precisou também de uma cobertura (serragem de tronco e folhagem) pra não nascer muito mato (pois nem todos são PANC e mesmo sendo, se encher demais atrapalha a muda a crescer, elas precisam de muita energia), elas amam água e precisam de um aditivo a mais. Então colocamos cinza de fogão de lenha ou compostagem ou estrume de vaca umas 4 vezes. Eles amaram.

Algumas folhas do pé do brócolis eu arrancava às vezes pra comer refogado ou colocar num suco de folhas.

Enfim, ele cresceu e pesou, ficou grandão e quase caiu, e finalmente foi cortado pra comer.

 

Ele não é visualmente diferente, especial, fluorescente, é um brócolis provavelmente já modificado por cruzamentos com intuito de produtividade ou algo assim. Creio não ser uma espécime crioula ou anscestral original.

Comi numa sopa com lentilha rosa, gengibre, açafrão, alga marinha kombu, masala de especiarias negras e cenoura. Usei missô ao desligar o fogo.

Queria uma sopa totalmente vegetal neste momento e nesta data, portanto refoguei com óleo de côco. Gordura vegetal saturada, boa para a saúde neuronal e pra carrear fitonutrientes para as vias certas. Gengibre em lascas pra aquecer o corpo numa frente fria forte e úmida. Aumenta o pitta, traz calor interno, e outros derivados da dietoterapia do oriente. Além de ser um bom antiinflamatório. Colhido por aqui também.

Açafrão, o ouro das Índias, um dos maiores protetores cerebrais contra a degeneração temporal ou nociva por tóxicos do cérebro e outros tecidos do corpo. Paladar gostoso, característico. Usei em pó por não ter ainda o tempo suficiente de colher o que plantamos ha horta.

Algas, um alimento espetacular, o mato do mar, rica em minerais traço como o vanádio, muito boa para o elemento metal – intestinos e pra energia vital – rim. A kombu foi previamente cozida lentamente no fogo de lenha e panela de ferro pois não curto usar pressão. Ela é vendida seca e rígida, necessita do cozimento. Cortei em tiras finas e ela ficou tipo um talharim.

A masala de especiarias é um toque individual que traz criatividade e variação do paladar das comidas, pois podemos inventar o que quisermos e montar o gosto – aroma preferido. Nessa, quis tudo da cor preta: pimenta preta, mostarda preta em grão, gergelim negro. Só aquecer todos os grãos e bater até virar pó.

Cenoura ralada em discos finos, acrescentei ao desligar pois não queria ela muito cozida, e sim quase crua, crocante. Mastigar sopa é possível!!!! Junto com ela o missô, pasta de arroz e soja fermentados (sem toxinas) e já com sal. Prefiro comprar o missô caseiro, sem outros temperos ou aditivos, feito por orientais já praticados no assunto.

Gosto de probióticos pois sem minhas bactérias não sou nada, na verdade dentro do corpo elas que mandam, desde o humor e disposição física e mental em levantar, regar, adubar o brócolis (o personagem principal), a absorção dos seus nutrientes, e até mesmo sua correta eliminação via fecal.

Lentilha rosa, um grão pequenino, cor rosa-clara, rosa zinco, rosa-mucosa, muito digerível e macia ao paladar, me serviu pra dar um conteúdo a mais em termos de construção de corpo, energia e força. Por ser um grão, deixei de molho antes pois só o tempo sabe ser o certo. Tudo que é grão germina, tudo que é grão tem proteção. Pra que ele fique desperto, água e tempo.  Não como muitos grãos ou cereais na rotina, sinto sua falta em dias frios e chuvosos, e pra isso escolho uns mais levinhos, sinto a lentilha rosa como um pseudo-grão, assim como a quinoa e o amaranto são pseudo-cereais. Mais leves, mais digeríveis e absorvíveis, menos muco, menos acúmulo.

Eis a história, do Brócolis, da sopa, das coisas que foram dentro, metade intuição e a outra cognição, pois a sensação de ter um filho planta merece minha inteligência, apreço e alegria. Acho que assim se cria uma relação alimentar, a longevidade, a saúde, a plenitude, o vigor. Independente de pra quê serve o brócolis no corpo, ou qual dieta alimentar sua mente segue ou copia, como é o corpo que ingere, tem sempre uma história, um mistério, um processo. O nutriente participa o ente que se nutre.

Comi tudo, uma panela, estou feliz, e tem mais um monte de plantas e histórias pra colher.

 

FIM

 

Deixe uma resposta